SOL ENERGY
10 de dezembro de 2018

O presidente eleito, Jair Bolsonaro, recebe da presidente do Tribunal Superior Eleitoral, ministra Rosa Weber, o diploma que o habilita a assumir a Presidência — Foto: Evaristo Sá/AFP

O presidente eleito Jair Bolsonaroafirmou nesta segunda-feira (10), em discurso na cerimônia de diplomação no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que o poder popular “não precisa mais de intermediação”.
A campanha eleitoral de Bolsonaro se apoiou principalmente nas redes sociais. Ele teve de interromper a campanha de rua devido ao atentado que sofreu e, no horário eleitoral da TV, tinha somente 8 segundos a cada bloco de 12 minutos. Pelas redes sociais, ele fez discursos, pronunciamentos e manifestações tanto em mensagens como por meio de vídeos e transmissões ao vivo.


“O poder popular não precisa mais de intermediação. As novas tecnologias permitiram uma relação direta entre o eleitor e seus representantes. Nesse novo ambiente, a crença na liberdade é a melhor garantia de respeito aos altos ideais que balizam nossa Constituição”, afirmou.

Ao chegar para a cerimônia, o presidente eleito, que é capitão da reserva do Exército, cumprimentou os presentes com uma continência e foi ovacionado por parte da plateia.
A solenidade começou às 16h27 e durou uma hora. Entre os presentes, estavam os presidentes da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), do Senado, Eunício Oliveira (MDB-CE); os ministros Luiz Fux, Luís Roberto Barroso, Edson Fachin, Alexandre de Moraes e Ricardo Lewandowski, do STF; a procuradora-geral da República, Raquel Dodge; o futuro ministro da Economia, Paulo Guedes; os atuais ministros Carlos Marun (Secretaria de Governo), Joaquim Silva e Luna (Defesa), Gustavo Rocha (Diretos Humanos) e Torquato Jardim (Justiça); o senador e ex-presidente Fernando Collor de Mello (PTC-AL) e o governador eleito do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB), além dos filhos de Bolsonaro, Carlos, Eduardo e Flávio, e a primeira-dama Michelle.
Durante o discurso (leia a íntegra ao final desta reportagem), Bolsonaro disse que governará para todos, sem distinção, e não somente para os que votaram nele. Agradeceu pelos mais de 57 milhões de votosrecebidos no segundo turno das eleições e pediu a “confiança” dos que optaram por outros candidatos.

“Agradeço aos mais de 57 milhões de brasileiros que me honraram com o seu voto. Aos que não me apoiaram, peço a confiança para construirmos juntos um futuro melhor para o nosso país”, disse.
Na opinião do presidente eleito, as diferenças são “inerentes” em sociedades múltiplas e complexas como a brasileira, mas há “ideais” que aproximam os brasileiros.
“A partir de 1º de janeiro serei o presidente de todos, dos 210 milhões de brasileiros. Governarei em benefício de todos sem distinção de origem social, raça, sexo, cor, idade, ou religião”, declarou.G1

Postado por Blog Cardoso Silva
Categorias: Brasil, ELEIÇOES 2018, Politica
FAO CONTABILIDADE
Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Siga nossas Redes Sociais
O que você procura?
Previsão para Caicó/RN
07/08 Dom
Máxima.: 33°c
Minima.: 22 °c
Chuva: 0mm
Probabilidade: 0%
Sol com algumas nuvens. Não chove.
União Play
Publicidade